Quais são os aparelhos de UTI que devem estar sempre disponíveis no hospital?

aparelhos de uti
7 minutos para ler

O surgimento das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) no Brasil, na década de 1960, foi um dos maiores progressos para a medicina nacional. A partir de então, viu-se a necessidade de separar os pacientes de acordo com a gravidade de cada um, tratando-os da maneira adequada e elevando as chances de recuperação.

Nas unidades de terapia intensiva, onde ficam os casos de maior complexidade, é preciso combinar uma equipe multidisciplinar com aparelhos de UTI de alta qualidade. Dessa forma, o hospital consegue monitorar o paciente para fazer as intervenções necessárias. Todos os procedimentos realizados necessitam de muita segurança, portanto, investir em bons equipamentos é o ideal para preservar os pacientes.

Alguns deles são fundamentais para o bom funcionamento da UTI, e ainda que sejam um alto investimento, podem trazer retornos ainda maiores para o hospital. Quer saber quais são esses equipamentos? Confira!

Como elaborar uma estrutura de UTI?

O processo de estruturar uma UTI é muito complexo, por isso, é importante que os aparelhos sejam de qualidade. A aquisição de aparelhos de UTI ocorre por meio de duas alternativas.

Uma delas é a compra direta, em que existem linhas de créditos especiais e é possível obter os itens por meio de aquisição consolidada ou como locação e comodato, conforme o que for capaz de gerar mais resultados para o hospital.

Agora, no caso de instituições públicas, a compra dos equipamentos precisa correr por meio de licitação pública. As aquisições podem ser nacionais ou internacionais, mas dependem desse processo administrativo formal.

Quais aparelhos de UTI não podem faltar?

Existem alguns aparelhos que são essenciais para o bom funcionamento de um setor de UTI. Veja a seguir quais são os principais!

Desfibrilador

O desfibrilador é um aparelho bem conhecido, até mesmo, pelos leigos. É usado em casos de parada cardiorrespiratória, para retomar o ritmo cardíaco do paciente. O equipamento emite uma carga elétrica que reorganiza as células que estão se comportando de forma irregular. Assim, é possível reverter o problema em tempo hábil, fazendo com que o coração volte a funcionar normalmente.

Oxímetro

O oxímetro avalia, de forma rápida e indolor, a frequência cardíaca e o nível de oxigênio presente no sangue do paciente. O aparelho apresenta as quantidades quando entra em contato com determinadas partes do corpo, como o pulso, o dedo ou os lóbulos da orelha. Por meio do uso do oxímetro, o profissional de saúde tem o auxílio para realizar intervenções respiratórias.

Ventilador pulmonar

O ventilador pulmonar é um equipamento essencial para a manutenção da vida de pacientes com insuficiência respiratória. Devido à pandemia da COVID-19, a sua importância ficou ainda mais evidente.

Se a pessoa em tratamento não consegue respirar sozinha, o aparelho é usado para substituir o movimento natural da respiração — ventilação invasiva —, garantindo a circulação de oxigênio no corpo. Lembrando que existe a opção de ventiladores que realizam a ventilação não invasiva como terapia para casos clínicos em que não há a necessidade de intubação.

Ultrassom

Por meio da absorção de ondas sonoras de alta frequência, o ultrassom captura imagens do interior do corpo humano em tempo real. Aparelhos de ultrassonografia disponíveis na UTI evitam o deslocamento do paciente para a realização de exames de imagem. Dessa forma, economiza-se tempo no tratamento, o que pode salvar vidas.

Monitor

O monitor realiza o acompanhamento dos sinais vitais do paciente, como a frequência cardíaca, pressão arterial, saturação do oxigênio etc. Caso ocorram alterações inesperadas, o aparelho emite alarmes que avisam a equipe médica. Ele é importante para monitorar a estabilidade e auxiliar no tratamento mais adequado para o paciente.

Powered by Rock Convert

Terapia de alto fluxo

A dispneia aguda (falta de ar) e a baixa oxigenação do sangue são problemas recorrentes nas UTIs. Uma nova abordagem que tem sido utilizada é a terapia de alto fluxo, feita por meio de cânulas nasais. Estas levam conforto respiratório para pacientes hipoxêmicos em respiração espontânea. É um método não invasivo, com eficácia comprovada.

Eletrocardiógrafo

O eletrocardiógrafo (ECG) se trata de um equipamento que realiza uma avaliação cardiológica. Considerando a atividade elétrica do coração, ele mensura os seus batimentos, o que possibilita o diagnóstico de vários problemas, por exemplo:

  • arritmias;
  • bradicardia acentuada;
  • desvios de eixo cardíaco;
  • fibrilação ventricular;
  • infarto agudo do miocárdio;
  • isquemia aguda do miocárdio;
  • taquicardia ventricular etc.

Devido à sua importância, é necessário contar com tecnologias que disponibilizem características como confiabilidade, precisão, telas de alta resolução e facilidade no transporte do aparelho.

Bomba de infusão

É um equipamento responsável por entregar fluídos ao paciente, por exemplo, medicamentos e nutrientes, de maneira controlada. Nesse caso, o profissional programa a quantidade e duração da entrega desses fluídos, por intermédio de um sistema integrado que gerencia a passagem dos líquidos por equipo (uma espécie de tudo de transporte) ou seringa.

Várias medicações usadas no decorrer do tratamento de doenças críticas são bastante fortes, e a alteração na dosagem da administração em somente alguns ml por hora pode gerar efeitos consideráveis. Além disso, alguns pacientes têm diversas infusões de fluídos diferentes sendo realizadas ao mesmo tempo.

Sendo assim, a exatidão na entrega de medicamentos e demais líquidos é fundamental e, para garantir essa precisão, as bombas de infusão são utilizadas.

Esse equipamento funciona da seguinte forma: aspira o fluído de uma bolsa padrão de líquido intravenoso e administra a taxa de fluxo de forma controlada. Assim, proporciona uma terapia correta e precisa. Pelo fato de poder utilizar bolsas de qualquer quantidade de fluído intravenoso, uma bomba de infusão pode ser usada para administrar os componentes a uma taxa de infusão muito lenta ou até muito rápida.

Como comprar bons aparelhos de UTI?

Para acertar na compra de aparelhos de UTI, é preciso pesquisar se os produtos apresentam a devida aprovação e regulamentação. Verifique os padrões de todos os itens de que o hospital necessita, inclusive a localização no setor, tendo em vista que qualquer falha na escolha pode influenciar negativamente na qualidade do atendimento.

Além disso, os equipamentos precisam ser simples de operar, principalmente em situações de emergência, então, outra dica é contar com ferramentas já consolidadas no mercado e que apresentam bons feedbacks dos clientes.

Outro ponto que deve ser levado em consideração é a manutenção. Isso porque não adianta adquirir o modelo mais atual e não saber como conservá-lo e higienizá-lo da maneira correta, por exemplo. O equipamento precisa funcionar como um aliado dos cuidados médicos, por isso, é importante buscar sempre pelas opções que tenham suporte técnico assegurado.

Como você pode perceber, os aparelhos de UTI têm funções indispensáveis. Por esse motivo, é necessário que a compra deles seja feita com segurança. A Sinal Vital está há 15 anos no mercado, vendendo equipamentos certificados pelos órgãos reguladores. Nosso suporte é ágil, e acompanhamos o cliente também no pós-venda.

Trabalhamos sempre com marcas de alto padrão de tecnologia, que estão entre as melhores do mercado. Conosco, o gestor hospitalar encontra todos os equipamentos de UTI essenciais, além de novidades da área com eficiência comprovada.

Precisa comprar os melhores aparelhos de UTI? Entre em contato com a Sinal Vital e conheça as nossas soluções!

Powered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe um comentário