Saiba mais sobre a importância de analisadores e simuladores na calibração de equipamentos médicos

calibração de equipamentos médicos
6 minutos para ler

A tecnologia faz parte do dia a dia de hospitais, clínicas e laboratórios. Para que os aparelhos possam oferecer resultados confiáveis, no entanto, é fundamental que seu funcionamento esteja adequado. Nesse contexto, ganha relevância a calibração de equipamentos médicos.

Trata-se de um cuidado periódico e que deve ser realizado por um profissional especializado. De modo a garantir a eficiência, os simuladores e analisadores são imprescindíveis na calibração. Dessa forma, fica assegurada a performance dessas máquinas, garantindo a segurança dos pacientes e dos técnicos em saúde, além da confiabilidade dos diagnósticos e tratamentos.

Para explicar o assunto, entrevistamos Leandro Silva de Freitas, coordenador responsável pela calibração de equipamentos médicos e laboratoriais da Sinal Vital. Continue a leitura e entenda melhor a importância desse procedimento na área médica!

Como funciona a calibração de equipamentos médicos hospitalares?

A calibração é essencial em serviços de saúde, visto que assegura se o equipamento médico está entregando os resultados corretos, segundo os padrões internacionais e normas específicas. É um procedimento que objetiva fazer a comparação de leituras sob teste com os valores de referência.

Vale salientar o seguinte: isso não significa que um aparelho que não foi calibrado está quebrado, porém há uma chance maior de ele apresentar defeito. Isso vai comprometer seu desempenho, o que pode gerar riscos aos pacientes ou dificultar a obtenção de certificações, como a ONA (Organização Nacional de Acreditação).

Realizar esse procedimento é, na verdade, um investimento, pois a calibração traz níveis satisfatórios de garantia quanto aos valores expressados nos certificados. “É um investimento que visa ao bem-estar e à segurança do profissional e do paciente submetidos ao uso daquele equipamento em questão”, ressalta Freitas.

Frequência da calibração de equipamentos médicos

A periodicidade deve ser observada de acordo com um mapa de utilização. O intervalo mínimo adotado é de um ano, mas para aparelhos do hospital de criticidade alta — como os de uso intenso dos setores de emergência e centro cirúrgico — Freitas recomenda que a calibração seja feita a cada 6 meses.

Com uma periodicidade bem-definida e um programa estruturado de manutenção preventiva, é possível garantir o bom funcionamento dos equipamentos médicos ao longo do ano.

Diferença entre calibração e ajuste

Muitas pessoas confundem, mas calibração e ajuste são dois procedimentos diferentes. A primeira é um conjunto de medições e comparações de grandezas mensuráveis, em que o resultado dessas operações expressa a incerteza na medição de um determinado equipamento. Já o segundo é uma intervenção de conserto/reparo baseada nos manuais do fabricante”, explica Freitas.

O ajuste é, portanto, uma medida corretiva ou preventiva, realizada para que a performance de um aparelho esteja compatível com suas características de uso, ou seja, previstas pelo fabricante. Apesar de diferentes, ambos os procedimentos devem ser parceiros nessa condição. Antes do ajuste, o equipamento deve ser calibrado, no intuito de se conhecer o desvio. Assim, caso precise, deve ser realizado o ajuste para, então, ser submetido novamente à calibração.

Qual é o profissional indicado para fazer a calibração?

Segundo Freitas, o procedimento deve ser feito por profissionais com, no mínimo, dois anos de experiência em equipamentos médicos, pois esses aparelhos apresentam particularidades que necessitam de uma certa destreza.

Powered by Rock Convert

“Os profissionais devem ter treinamento nos padrões internacionais desenvolvidos especificamente para o setor e em processos metrológicos. Além disso, precisam possuir conhecimento sobre sistema de medição, erro e seus tipos de erro, expressão da incerteza de medição, identificação das fontes de incerteza de medição herdadas, fator de correção, entre outros critérios”, acrescenta o coordenador de calibração da Sinal Vital.

Por último, o técnico precisa ser treinado para identificar quando um equipamento está configurado da forma equivocada, o que pode comprometer os resultados durante a medição.

Quais ferramentas e técnicas devem ser utilizadas na calibração?

Ao identificar qual parâmetro e grandeza se pretende calibrar, é necessário utilizar padrões que satisfaçam essa condição. Para calibrar equipamentos médicos, como bisturis e cardioversores, o uso dos analisadores de energia é fundamental.

Vale salientar, no entanto, que não basta saber qual grandeza é possível calibrar. Deve-se conhecer o funcionamento do equipamento. “No caso de equipamentos médicos, existe uma relação com a bioimpedância corporal, sendo que o ajuste equivocado dessa condição primária de entrada pode trazer valores equivocados na leitura durante os ensaios. Para marcapassos, bisturis e cardioversores, essa condição é indispensável”, diz Freitas.

Qual a importância de utilizar analisadores e simuladores na calibração?

Para garantir cada vez mais exatidão e precisão durante o procedimento, foram desenvolvidos simuladores e analisadores. São ferramentas pensadas e construídas que ajudam a apoiar o desenvolvimento de equipamentos e tecnologias cada vez mais fidedignas aos sinais vitais do paciente.

Além disso, eles simulam as características fisiológicas humanas e analisam o desempenho de aparelhos essenciais na manutenção da vida. Assim, asseguram o funcionamento adequado dos equipamentos médicos, impedindo falhas que podem causar danos à saúde do paciente.

“Os equipamentos médicos que fornecem leituras de sinais vitais são submetidos aos simuladores, no caso ECG, SPO2, NIBP, PNI, CO, temperatura, ETCO2, entre outros parâmetros. Já os que exercem dinamismo vital diretamente com o paciente são submetidos aos analisadores dessas funções, como os ventiladores mecânicos, estação de anestesia, cardioversores, bisturi, entre outros”, esclarece Freitas.

Cuidados de manutenção para analisadores e simuladores

É necessário adotar cuidados de transporte, manuseio e instalação dos analisadores e simuladores para que a calibração seja realizada de forma segura. Além disso, todos os equipamentos padrões devem ser calibrados em um laboratório que atenda às normas internacionais e nacionais.

Como a Sinal Vital auxilia os hospitais na calibração dos equipamentos médicos?

A Sinal Vital tem um time técnico qualificado, conhecedor de processos metrológicos e com vasta experiência em aparelhos médicos. “Contamos com um poderoso arsenal de equipamentos e padrões voltados especificamente para a simulação e análise. Desse modo, somos capazes de atender às demandas de calibração em uma unidade hospitalar de qualquer porte ou natureza”, salienta Freitas.

A calibração de equipamentos médicos deve ser feita com periodicidade e por profissionais especializados. Como foi visto ao longo do texto, também é preciso levar em conta no procedimento os analisadores e simuladores, uma vez que estes auxiliam no desenvolvimento de melhores tecnologias e aparelhos.

Quer realizar a calibração desses equipamentos com uma empresa especializada? Basta entrar em contato com a equipe da Sinal Vital para conhecer todos os serviços realizados nesse segmento!

Powered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe um comentário