Entenda a importância da manutenção preventiva e corretiva de equipamentos médicos

manutenção preventiva e corretiva de equipamentos médicos
7 minutos para ler

O avanço da tecnologia permitiu inúmeras inovações na área da saúde nos últimos anos. Entre elas, destacam-se aparelhos modernos, que têm revolucionado o diagnóstico e o tratamento de doenças. No entanto, para que essas ferramentas funcionem de maneira realmente eficiente, é necessário adotar alguns cuidados, como a manutenção preventiva e corretiva de equipamentos médicos.

Esses procedimentos são essenciais não apenas para o bom funcionamento das máquinas, mas também na hora de evitar que ocorra algum tipo de acidente que ponha em risco a saúde dos colaboradores e dos pacientes. Além disso, podem representar uma redução de custos para o hospital ou a clínica, prolongando o tempo de vida útil dos aparelhos.

Quer saber mais? Neste post explicamos a diferença entre manutenção preventiva e corretiva de equipamentos médicos e mostramos quais as suas vantagens para a instituição de saúde. Confira!

Qual a diferença entre manutenção preventiva e corretiva?

A manutenção preventiva é realizada em determinado período de tempo. Ou seja, funciona como uma revisão, em que o equipamento é avaliado e restaurado de acordo com o necessário para atingir a máxima eficiência, evitando riscos aos usuários, como quebras e falhas.

Esse tipo de ação é feito de modo programado e continuamente, em um sistema de rotação conhecido por Programa de Manutenção Preventiva. Isso quer dizer que sempre serão selecionados alguns equipamentos para a realização do procedimento. De acordo com os parâmetros do Ministério da Saúde, devem ter preferência aqueles que precisarem de limpeza, lubrificação ou algum pequeno ajuste.

Já a manutenção corretiva é indicada quando existe algum dano no aparelho, que comprometa realmente o seu funcionamento. Portanto, difere da preventiva por não ser programada, vinda de um imprevisto, interrompendo a rotina do setor. Além disso, algumas vezes, requer um custo maior, pois pode ser necessária a troca de peças, impactando o orçamento.

Quais as vantagens da manutenção preventiva e corretiva de equipamentos médicos?

O fato é que fazer manutenção preventiva e corretiva de equipamentos médicos é fundamental para o bom funcionamento deles e a rotina de um hospital. Confira os subtópicos a seguir e conheça as suas vantagens.

Reduz custos

A manutenção preventiva evita que a empresa utilize recursos não programados para o reparo de algum aparelho, principalmente aqueles que são críticos dentro da rotina do hospital. Dessa forma, uma economia é gerada, por meio de planejamento, à instituição.

Ainda assim, até a manutenção corretiva pode contribuir para menos gastos se for feita em tempo hábil, impedindo o cancelamento de procedimentos que comprometem o faturamento da instituição.

Aumenta a vida útil dos equipamentos

Se um equipamento está sempre em bom estado de conservação, ele precisará ser trocado com menos frequência, não é mesmo? Por isso a manutenção é tão importante. Ainda que o aparelho quebre, a troca rápida e adequada de uma peça restabelece o seu funcionamento, evitando dores de cabeça no futuro.

Assegura padrões de segurança

Manutenções periódicas são a melhor forma de garantir a conformidade com normas de segurança. E atender a esses padrões certificados é a melhor forma de atestar a eficiência dos equipamentos, aumentando a confiabilidade nos procedimentos realizados no hospital.

Minimiza a necessidade de substituição dos equipamentos

Quando a vida útil do equipamento aumenta, a sua função operacional também é elevada, o que vai levar à diminuição de reposições frequentes. Isso porque os aparelhos bem cuidados não precisam ser trocados constantemente.

Caso contrário, existem grandes possibilidades de acontecerem falhas inesperadas, por exemplo, avarias nas peças ou danificações, o que vai levar a uma maior necessidade de troca.

Powered by Rock Convert

Otimiza os padrões de confiabilidade

Equipamentos seguros apresentam menores chances de funcionarem de forma inadequada em qualquer tipo de exame ou tratamento. Sendo assim, é fundamental checar se os prestadores de serviços possuem simuladores e analisadores calibrados corretamente para serem usados como referência.

Dessa forma, é possível adquirir parâmetros certificados e atestar se o equipamento médico se encontra dentro das orientações do fabricante, acompanhando, diagnosticando e respondendo aos comandos da forma que deve ser.

O que pode acontecer caso a manutenção preventiva e corretiva não seja realizada corretamente?

Manter a manutenção preventiva e corretiva de equipamentos médicos é um grande desafio, principalmente pelo fato de que, quando não é realizada adequadamente, ela pode gerar uma série de consequências negativas. Veja as principais a seguir!

Interrupção do atendimento

Um aparelho que não está funcionando bem pode gerar erros no decorrer de sua utilização, levando à paralisação do atendimento e a diversas ações remediadoras. No entanto, existem situações em que a falta desse equipamento no tratamento do paciente pode causar danos irreversíveis à sua saúde ou, até mesmo, óbitos, tudo por falhas na gestão hospitalar. Isso vai gerar o comprometimento da reputação da unidade de saúde e sanções jurídicas.

Diminuição da segurança

A equipe de profissionais da saúde deve atuar com confiança nos aparelhos usados. Isso quer dizer que todo aparelho precisa estar apto a funcionar com eficácia quando for necessário.

Caso a manutenção não esteja em dia, os colaboradores não terão o grau de segurança recomendado para a efetivação dos procedimentos. E, caso o equipamento deixe de funcionar, a segurança do time e a saúde dos pacientes ficarão ameaçadas.

Redução na capacidade de atender os pacientes

Todo aparelho apresenta um tempo de vida útil, que é definido pelo fabricante, e deve ser revisado de forma periódica. Em certas situações, existe a necessidade de substituir peças ou fazer uma lubrificação, por exemplo.

Dessa forma, quando o equipamento não passa por essas manutenções, em certo momento, ele pode apresentar falhas e, como consequência disso, o hospital pode sofrer uma diminuição considerável da sua capacidade de atendimento.

Ter essa disponibilidade reduzida gera bastante prejuízo para a instituição, principalmente porque, cada dia que passa, existe um número crescente de indivíduos precisando de atendimento. Isso gera um custo de oportunidade para a instituição, já que deixam de receber os repasses dos planos de saúde.

Interferência na precisão

A ausência de manutenção também pode fazer com que o aparelho médico apresente resultados pouco precisos ou confiáveis, ou seja, com um maior nível de variação dos números apresentados. Isso minimiza a eficiência das operações, em geral, o que pode levar a riscos para as análises e os diagnósticos médicos dos profissionais da área da saúde.

Como vimos, o procedimento de manutenção preventiva e corretiva de equipamentos médicos não é apenas uma necessidade. É uma maneira de obter um máximo rendimento dos aparelhos, com segurança para os colaboradores e os pacientes em um hospital.

Para garantir uma manutenção, preventiva ou corretiva, eficiente, é importante que ela seja feita por uma empresa que represente oficialmente a marca do seu equipamento médico. Dessa forma, você vai garantir que todos os protocolos oficiais de manutenção foram executados.

Você gostou de saber a importância de fazer a manutenção preventiva e corretiva? Então, aproveite a oportunidade para entrar em contato conosco caso precise de ajuda. Afinal, a Sinal Vital disponibiliza vários equipamentos usados no dia a dia, além da sua manutenção técnica.

Powered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe um comentário